fumeiro d´avó maria, our partners

08/09/2016 19:42

Salpicão iguaria produzida a partir da imagem de marca de Alfândega da Fé

Sabia que a cereja também pode ser usada na produção de salpicões? Trata-se de uma conjugação de um enchido característico do concelho, o salpicão, com aquela que é a imagem de marca de Alfândega da Fé, a cereja. O produto foi desenvolvido pelo chefe António Mauritti que lançou o desafio a Maria de Lurdes Ferreira, uma produtora local de fumeiro. A iguaria surge assim com a marca Fumeiro d'Avó Maria. Quem o provou diz que vale a pena. Curioso? Então, vá até Alfandega da Fé de 5 a 7 de junho, e prove a nova especialidade no decorrer da Festa da Cereja.

Salpicão de cereja: a nova iguaria produzida a partir da imagem de marca de Alfândega da Fé

Como surgiu a ideia de produzir salpicão de cereja? Perguntou o VerPortugal a Maria de Lurdes Ferreira. "Foi um desafio lançado pelo chefe António Mauritti" - respondeu a residente em Alfandega da Fé que, na sequência de uma situação de desemprego que teve de enfrentar há três anos, decidiu criar com o marido a empresa Fumeiro d'Avó Maria

O novo produto, já apresentado no decorrer de um piquenique promovido pela Câmara Municipal de Alfândega da Fé e servido em alguns restaurantes da terra, começou a ser produzido este ano. "Apenas fiz duas remessas de salpicão de cereja. Da primeira vez produzi cerca de uma centena. E esses já foram vendidos. Agora, tenho mais 150 que serão para comercializar, a 39 euros o quilo, na Festa da Cereja" - explica ao Ver Portugal a produtora.

O método de produção - explica Maria de Lurdes Ferreira - não é muito diferente da que por norma é usada na tradicional produção de salpicões. "Uso carne que compro a produtores da zona, adiciono-lhe os meus temperos. Entretanto, a cereja é desidratada e os caroços retirados. Quando está 'no ponto' é junta à carne" - refere a empreendedora que necessita de mais ou menos duas semanas até poder disponibilizar para consumo os enchidos. "E para obter um quilo de cereja desidratada preciso de nove ou 10 quilos. Daí, o preço do produto ser mais elevado" - refere.

O novo produto, é mais um a juntar a tantos outros que têm sido feitos a partir da cereja. E, como os demais, também este está a causar muita curiosidade. A prova disso são as encomendas que têm chegado ao Fumeiro d'Avó Maria. "Uma das encomendas surgiu na sequência de um almoço num restaurante da zona. Um cliente que provou, como entrada, a iguaria pediu o contacto no restaurante para me fazer uma encomenda. Os salpicões seguiram para Lisboa" - explica ao VerPortugal dando nota de que já tem mais encomendas e algumas já foram entregues para diversos pontos do País.

Para além deste, no Fumeiro d'Avó Maria, são produzidos outros tipos de produtos. Todos de fumeiro que chegam a diversos pontos de Portugal através da revenda.  "Prefiro fazer do que vender. Por isso, revendo os produtos a quem por norma os vende em feiras, como produtos gourmet" - acrescenta ao VerPortugal Maria de Lurdes Ferreira.

Aos 59 anos, esta mulher de Alfândega da Fé, teve de encontrar uma forma de ganhar a vida depois de ter perdido o emprego. Aproveitou alguns programas de empreendedorismo e com a ajuda do marido criou a Fumeiro d'Avó Maria. Por enquanto, e ao fim de três anos de trabalho, é  ela a única funcionária. "Mas acredito que se a procura dos meus produtos for aumentando como, aliás, tem sido até aqui, vou poder criar postos de trabalho" - revela a empreendedora que aproveita a conversa com o VerPortugal para dizer que a página de Facebook que criou é uma das formas a usar pelos interessados em encomendar a nova iguaria.

http://www.tras-os-montes-gourmet.com/